Bem de família é impenhorável ainda que em área nobre e de alto valor

0
Comentários
0
likes
0
Coment.
0
likes
penhora imóvel

O imóvel que serve de moradia da família não pode ser penhorado para pagamento de dívida, independentemente do valor da avaliação econômica. Com base nessa premissa e na garantia da impenhorabilidade prevista na Lei nº 8.009/90, a Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) desconstituiu penhora sobre um imóvel de 451 metros quadrados em área nobre de São Paulo, avaliado em cerca de R$ 800 mil.

Leia mais:

Vídeo | Impenhorabilidade absoluta: É admissível a renúncia?

Penhora não atinge bem de família que garante dívida de empresa pertencente a um dos cônjuges

A penhora se deu em reclamação ajuizada por um eletricista que trabalhou de julho de 1992 a março de 2007 para a Engemig Engenharia e Montagens Ltda. A ação foi ajuizada contra os sócios da empresa, esta já com as atividades paralisadas, e contra outros grupos empresariais para os quais o empregado trabalhou por curto tempo.

Ao examinar o caso, a 55ª Vara do Trabalho de São Paulo absolveu as demais empresas, mas condenou os sócios da Engemig a arcar com o pagamento de horas extras, aviso prévio, 13° salário e FGTS, além de indenização por danos morais de R$ 53.130,00.

O trabalhador interpôs recurso ordinário para requerer que as demais empresas arcassem com a condenação, o que não foi acolhido, e, em seguida, requereu a penhora de bens em nome dos sócios condenados. A penhora recaiu sobre imóvel avaliado em R$ 800 mil.

Bem de família

O sócio penhorado opôs embargos à execução alegando que o bem serve de moradia para ele, a esposa e os filhos, sendo o único imóvel da família, não podendo ser penhorado por força do artigo 19 da Lei 8.009/90. O eletricista contestou a alegação sustentando que o bem é de alto valor, devendo ser vendido para que parte dos recursos fosse destinada ao pagamento da condenação.

O TRT da 2ª Região acolheu o pedido do trabalhador sob o argumento de que, se de um lado há a necessidade de proteger a família do devedor, de outro deve haver a efetividade da execução trabalhista. Por entender que a impenhorabilidade do bem de família não pode possibilitar que o devedor mantenha inatingível seu padrão de vida, morando em imóvel de valor desproporcional em relação ao débito, determinou a comercialização do bem e a destinação de 50% do produto da venda ao devedor e o restante para cumprimento da execução.

O executado recorreu da decisão para o TST, que desconstituiu a penhora. Para a 1ª Turma, o alto valor do bem não abala a circunstância de que o imóvel é usado para habitação da família, argumento que basta para assegurar a impenhorabilidade. A decisão foi tomada com base no voto do relator, o ministro Hugo Carlos Scheuermann, que levou em consideração o princípio da dignidade da pessoa humana, seu direito social à moradia e  proteção à família, previstos no artigo 6º da Constituição Federal.  

(Fernanda Loureiro/LR)

Processo: RR-224300-51.2007.5.02.0055

Fonte: TST

 

Indicação

Processo Imobiliário – Rodrigo Barioni e Fabiano Carvalho A obra apresenta análise dos aspectos relevantes do direito imobiliário, mais especificamente em sua vertente procedimental. Por meio de vinte textos de indiscutível valor científico, aborda difíceis aspectos de temas como locação, desapropriação, alienação fiduciária em garantia, ações possessórias, condomínio, compromisso de compra e venda, penhora de imóveis, direito de vizinhança, hipoteca, usucapião, direito ambiental e arbitragem. Atingiu-se, assim, o objetivo de viabilizar o acesso, em uma única obra, a alguns dos principais procedimentos judiciais e extrajudiciais referentes a bens imóveis.(Saiba mais)

LEIA TAMBÉM
COMENTE

0 resposta para “Bem de família é impenhorável ainda que em área nobre e de alto valor”

  1. […] – Bem de família é impenhorável ainda que em área nobre e de alto valor […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.