Ficar em baixa não dá!

0
Comentários
0
likes
0
Coment.
0
likes
espelho

Há duas formas de se comportar depois de se observar no espelho. A primeira, desaconselhável: a criatura percebe que não é uma figurinha atraente e fica indignada, chateada, de mãos atadas. A segunda, aconselhável e positiva: a pessoa nota que precisa de um novo penteado, fazer a barba, o bigode, cortar os pelos do nariz e da orelha, apanha uma tesourinha, arregaça as mangas e, sem delongas, alivia o peso da barra.

No âmbito estudantil ou profissional, a mesma coisa: detectadas as fraquezas e imperfeições, a saída é inspirar fundo e ir à luta. Consertar as rugas! Afinal, FICAR EM BAIXA NÃO DÁ!

É preciso FAZER MAIS – custe o que custar!

Meus avós já diziam: “QUEM FAZ POUCO costuma desdenhar os feitos do outro”.

Já notou que algumas pessoas tentam sugar a sua vivacidade, ofuscar o seu brilho?

NÃO DEIXE QUE SUGUEM O SEU SANGUE!

Um conselho: o melhor é não sangrar! Tubarões e piranhas estão por toda parte. Evite contato com pessoas negativas, com rabugem, que vivem reduzindo o valor da vida alheia.

Certa feita, num curso preparatório no qual lecionei por dois anos, um determinado colega de faculdade cumprimentou-me num tom irônico:

– Você por aqui?! Largou de vez a música?! Não vai me dizer que finalmente resolveu estudar? Sei não… O universo jurídico não é a tua cara! Olhou-se no espelho hoje, Nourmirio?!

Lembro-me como se fosse ontem: respondi com o silêncio. Em seguida, entreguei a ele um resumido material de estudo, no qual constava, no rodapé da página, o nome do professor responsável pela disciplina de Direito Constitucional.

Pobre criatura… Não sabia onde “enfiar a cara”. Corou-se… Em seguida, todo sem jeito, indagou-me:

– Como conseguiu tão fácil as coisas, Tesseroli?!

Eu sorri (não me contive…). Mas sorri num tom de indignação, haja vista a indelicadeza e a descrença daquele sujeito. Pessoas assim são insuportáveis: normalmente sentem tristeza pelo sucesso do outro; não raras vezes, impotência diante das conquistas alheias.

Passado um breve tempo, recobradas as forças, dei início à aula matinal. “A vida segue…”, pensei.

Caro leitor, é provável que muitos à sua volta não entendam suas transformações e passem a questioná-lo. Compreenda, para o seu próprio bem: suas vitórias terão sabor de derrota para os opositores! Dê as costas: “faça ouvidos moucos e olhares poucos” aos fomentadores de maus pensamentos. Cá entre nós: asnice pega. Cuidado!

Que pensem e que falem! Nós sabemos quem somos! Os outros apenas imaginam.

Contrariedade é natural, BASTA REAGIR CERTO!

Construa o SEU cenário e esqueça o resto, não se prendendo à mediocridade e à estreiteza mental de alguns.

Boa sorte!

LEIA TAMBÉM
COMENTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *