Os últimos 50 dias para a próxima 1ª Fase da OAB

0
Comentários
0
likes
0
Coment.
0
likes

shutterstock_260692571

50 dias; faltam exatamente essas 5 dezenas para os bacharéis ou estudantes dos últimos períodos de direito receberem em suas mãos o caderno da 1ª Fase do XVIII Exame de Ordem, no dia 28 de novembro. Esta sexta-feira, dia 9 de outubro, que também é o último dia de inscrição na prova, representa o que no caminho até a aprovação? Ainda dá tempo de estudar tudo? Já passou da hora de começar? Tenho tempo de sobra?

Para responder o que esse período representa, além das considerações e dicas do professor Álvaro de Azevedo Gonzaga, esta página conversou com o professor Victor Hugo, de Direito do Trabalho e com o professor Marcelo Galante, de Direito Constitucional. Há vários anos trabalhando com o Exame da OAB, os professores são unânimes a avaliarem que 50 dias bem aproveitados podem garantir a aprovação, mas fazem há ressalva de que não há margem para erros ou descanso nesse período.

CONTAGEM REGRESSIVA

Álvaro de Azevedo Gonzaga: Se não começou, comece a estudar logo. 50 dias não é pouco tempo, mas também não é um prazo que permite o candidato achar que tem alguma folga. Por isso, é mais do que hora de se planejar, criar uma disciplina de estudo e mantê-la até o final.

Victor Stuchi: 50 dias é o momento de intensificar os estudos. É possível rever os principais pontos das matérias que o alunos têm mais afinidade. Entendo que é um prazo razoável, por isso é preciso direcionar o conteúdo que será estudado.

Marcelo Galante: Agora é a reta final de preparação e deve ser encarada como tal. Não dá para olhar para o calendário e relaxar e também não adianta achar que vai conseguir estudar os 5 anos da faculdade em 50 dias. Encare esse período final com seriedade e encaixe os principais assuntos da prova nesse tempo.

O QUE ESTUDAR:

Álvaro de Azevedo Gonzaga: Ter uma disciplina de estudo que priorize as disciplinas de maior incidência é vital. São 90 questões que cobram conceitos de 17 disciplinas, sendo que o peso de uma para outra é muito diferente. Posto isso, dominar o conteúdo de Ética e das matérias com mais questões é muito importante para se atingir os 50% de acerto na 1ª Fase.

Marcelo Galante: Sem ignorar totalmente as disciplinas que aparecem com duas ou três questões, foque a maior parte do seu tempo bas grande áreas. É uma questão de lógica, você não precisa acertar todas questões da prova e não faz sentido gastar o mesmo tempo com Direito Internacional e Ética. Afinal, a primeira tem, em média, 2 questões, enquanto a segunda, 10. Uma dica para saber quais conteúdos priorizar é resolver as últimas provas, baseada nelas, o candidato percebe o que é mais cobrado.

Victor Stuchi: Aconselho candidato foque em Ética. Além disso, para quem ainda está com dificuldade de pegar um ritmo de preparação mais forte, uma dica é começa pela sua área do direito material preferida, junto com a parte processual dela. Por exemplo, comece por Direito do Trabalho e Direito Processual do Trabalho.

COMO ESTUDAR:

Álvaro de Azevedo Gonzaga: Apesar de existir diversas técnicas e da nossa experiência indicar formas de estudo que funcionam e as que não funcionam, o bacharel precisa respeitar a sua individualidade. Ao longo de toda sua vida, você sabe o que funciona e o que não funciona. Talvez mais importante do que a técnica, é ter a disciplina de não estudar um dia e ficar dois sem fazer nada ou de estudar enquanto usa o celular ou enquanto joga conversa fora. Um cursinho online como o Curso Fórum, com professores e uma estrutura confiável, pode ajudar neste processo. Caso opte por um livro – o ideal seria combinar os dois – a coleção que eu coordeno Vade Mecum Juridico Doutrina apresenta um conteúdo focado e bem direcionado.

Marcelo Galante: Resolva pelo menos as últimas cinco provas da OAB. Digo isso porque para acertar uma questão é preciso, ao mesmo tempo, saber o conteúdo da matéria e como este conteúdo é cobrado. Se possível, divida seu tempo de estudo em dois momentos: primeiro a parte teórica, depois resolva as questões.

Victor Stuchi: Nunca indico a leitura de livros específicos de cada matéria para a primeira fase. Na verdade, indico um livro que contém todas as matérias. O pioneiro e que é referência nesse aspecto é o Vade Mecum Juridico Doutrina, da editora Método, grupo GEN. Com um bom material em mãos, aconselho que o próximo passo seja estudar duas matérias por dia. Divida as matérias afins, como Direito Penal e Direito do Processo Penal, estudar as matérias em dupla otimiza o tempo e melhora a absorção do conhecimento.

QUANTO TEMPO

Álvaro de Azevedo Gonzaga:  Quanto a isso, não use o tempo sem moderação! Quanto mais tempo puder estudar por dia, estude. Porém, como trabalho e faculdade são obrigações presentes na vida da maioria dos candidatos, o que você precisa fazer é negociar o seu tempo! Onde você consegue criar uma brecha? Como conseguir mais meia-hora, mais quinze minutos para estudar? Caso você só tenha meia hora por dia, nunca abra mão dessa meia

Victor Stuchi: Não existe um tempo mínimo por dia, mas acho difícil organizar todo o estudo e tem uma concentração necessária sem antes passar por uma hora por dia. Às vezes, as circunstância da vida são contrárias e nos impedem de estudar, mas, tenha certeza, o resultado de uma preparação adequada é a aprovação.

Marcelo Galante: É difícil precisar um tempo mínimo ou máximo de estudo, por outro lado, é fácil ver o que o desafio é grande e quanto mais preparado o candidato estiver, melhor. Por isso, repito a orientação de combinar a teoria com a resolução de exercícios. Após definir o tempo que você vai reservar por dia, divida o seu tempo igualmente entre esses dois momentos.


Veja também:

Conheça as obras do autor (Clique aqui!

LEIA TAMBÉM
COMENTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.