O novo CPC e o Direito Empresarial

0
Comentários
0
likes
0
Coment.
0
likes
Brush resting on a tin can of protective paint for wood treatment against weathering, insects and fungus. Outdoor protection, carpentry, hard at work, home improvement, do-it-yourself concept.

Apesar de direito civil e direito empresarial serem ramos distintos e autônomos, em matéria processual não ocorre o mesmo, de modo que não há um Código de Processo Empresarial, tampouco leis processuais esparsas sobre processo empresarial que nos permitam afirmar a existência de um direito processual empresarial autônomo.

É verdade que o projeto de novo Código Comercial trata, de forma detalhada e específica, do que ele chama de “processo empresarial”, mas são poucos os procedimentos especiais previstos, além de haver regra expressa determinando a aplicação subsidiária do Código de Processo Civil.

Enfim, atualmente, pelo menos, as regras do CPC aplicam-se indistintamente aos litígios cíveis e empresariais, a despeito de haver ações e procedimentos que são próprios de cada regime. Por exemplo: a ação de divórcio é típica do regime jurídico civil, enquanto a ação de falência é típica do regime jurídico empresarial.

Embora o exemplo mencionado de ação típica do regime jurídico empresarial seja referente a uma ação regulada em lei própria, a Lei 11.101/2005, também há, no próprio Código de Processo Civil, ações, procedimentos e regras que são aplicáveis a litígios tipicamente empresariais. É o caso, por exemplo, da ação de dissolução parcial de sociedade.

Portanto, a Lei 13.105/2015, que instituiu em nosso país o novo CPC, com certeza terá impactos no direito empresarial. Além da já referida ação de dissolução parcial de sociedade, disciplinada nos arts. 599 a 609 do novo CPC, podem-se mencionar também o incidente de desconsideração da personalidade jurídica (arts. 133 a 137) e as regras sobre penhora de quotas sociais (art. 861), penhora de estabelecimento empresarial (art. 862) e penhora de faturamento da empresa (art. 866).


Veja também:

Conheça as obras do autor (Clique aqui!)

LEIA TAMBÉM
COMENTE

2 respostas para “O novo CPC e o Direito Empresarial”

  1. Guilherme Ribeiro disse:

    Olá, acredito que há um erro no último parágrafo, onde logo no início, menciona-se a lei que institui o Novo Código de Processo Civil, nesta menção o número da lei está certo, no entanto o ano de publicação da norma não está, no texto diz que esta fora publicada em 2005 quando na verdade sua publicação se deu no ano de 2015. Grato desde já.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *