PUBLIEDITORIAL: Hugo Segundo apresenta o novo Manual de Direito Tributário

0
notas
0
likes
0
notas
0
likes

Dentro do “senso comum jurídico”, o Direito Tributário é geralmente visto como excessivamente técnico e abstrato e, por isso mesmo, complexo e enfadonho. Interessaria, ainda, apenas aos dotados de maior capacidade econômica, o que conferiria caráter elitizado aos profissionais que dele se ocupam, pelo menos no que tange aos do setor privado.

É curioso, nesse particular, notar que o senso comum não se caracteriza, necessariamente, pelo equívoco de suas concepções. Algumas podem estar corretas. Seu traço marcante, a rigor, é a falta de sistematicidade e, principalmente, de revisão crítica. Diz-se, simplesmente, que certas coisas são de determinada maneira “porque sim” ou porque “todo mundo sabe”, e isso quando se chega a questionar sua razão de ser, algo que raramente acontece.

O mesmo parece ocorrer com as mencionadas concepções hauridas do senso comum em torno do Direito Tributário, pelo que, neste livro, busca-se fornecer ao leitor uma visão sistematizada e fundamentada de seus institutos, conceitos e formas, de modo a, talvez, levar a uma revisão de tais ideias, notadamente nos discentes dos cursos de graduação que ainda não tiveram contato mais detido com a matéria e principalmente com a realidade das relações econômicas e jurídicas sujeitas à tributação.

“A tributação é comum a praticamente todo agrupamento humano dotado de alguma organização política, estando, assim, intimamente ligada à história das civilizações, em todos os tempos e lugares. Está na raiz de inúmeras guerras, e, em especial, dos conflitos que legaram à humanidade Direitos Fundamentais e Constituições rígidas nas quais estes se acham atualmente consagrados. Pela mesma razão, nela reside, na contemporaneidade, o centro dos debates relativos aos papéis do Estado e ao seu tamanho. Não se trata, portanto, de assunto abstrato ou de interesse limitado apenas a um grupo de pessoas, algo que se procura demonstrar neste livro.”

 

Tem-se aqui, portanto, um Manual destinado a estudantes de graduação, no qual se objetiva examinar o conteúdo das disciplinas de Direito Tributário I e II, de forma panorâmica, mas que procura não se limitar à descrição das normas que disciplinam como a tributação deve ocorrer, ou das decisões judiciais que indicam como essas normas devem ser interpretadas. Aliás, em livro anterior que elaborei em torno desse mesmo assunto para a editora Atlas, destinado a dar ao leitor uma visão mais sintética e objetiva dos tema estudados – dentro do que isso é possível – fiz grande esforço para limitar minhas observações ao que seria a visão dominante da literatura especializada a respeito dos textos legais, e às decisões dos tribunais. Neste Manual, no qual toda a matéria foi revista a partir de outra abordagem, sensivelmente ampliada, obviamente não se abandonou a visão predominante nos tribunais a respeito dos temas versados. Afinal, é imprescindível, para quem pretende trabalhar com a ordem jurídica, conhecer a forma como ela atua. Mas tais considerações, neste novo livro, encontram-se por vezes acompanhadas de observações a respeito dos motivos – históricos, econômicos ou filosóficos − pelos quais a matéria é entendida ou disciplinada de uma maneira, e não de outra. E, como consequência, a partir de tais premissas e de maneira sensível a elas, eventualmente se procede à crítica da forma como no Direito brasileiro se disciplinam e julgam algumas questões, como ocorre com a restituição do indébito de tributos indiretos, apenas para citar um exemplo.

O mercado editorial brasileiro possui, é certo, inúmeras obras respeitáveis em torno do Direito Tributário. Este livro não tem a pretensão de ser melhor do que nenhuma delas, nem poderia. Almeja-se, apenas, uma abordagem diferente, talvez mais ilustrada, voltada principalmente aos alunos dos cursos de graduação em Direito que têm dessa disciplina específica a pré-compreensão indicada no início desta nota.

Como ocorre com todo livro, este possui, por certo, imperfeições. Algumas inerentes ao processo de elaboração; outras, ao próprio autor que o elaborou. Fiz o possível para corrigi-las todas, mas, relativamente as que escaparam a mim e à diligente equipe da editora Atlas, peço aos leitores paciência, e, se quiserem, a gentileza de me as indicarem por e-mail ou pelas redes sociais, que terei muito gosto em corrigi-las, estando ainda à disposição, nesses mesmos meios, para a troca de ideias sobre os temas abordados neste livro.

NOVIDADES

Para tornar mais leve o estudo foram inseridas ilustrações para mostrar, sobretudo através da arte, o quanto o tema da tributação sempre esteve presente nas sociedades humanas.

“…toda a matéria foi revista a partir de outra abordagem, sensivelmente ampliada, obviamente não se abandonou a visão predominante nos tribunais a respeito dos temas versados. Afinal, é imprescindível, para quem pretende trabalhar com a ordem jurídica, conhecer a forma como ela atua.”

Além disso, a obra está atualizada com o Regime Especial para Pagamentos de Precatórios (EC 94/2016), o Novo Regime Fiscal (EC 95/2016) e com as alterações na Lei do ISS (LC 157/2016) e ainda há capítulos específicos para tratar da relação mais próxima do Direito Tributário com o Direito Processual, com o Direito Penal e com o Direito Financeiro, de modo a tornar mais completa a abordagem feita, em atenção à complexidade do fenômeno tratado e à necessária interdisciplinaridade daí decorrente.

Leia um trecho

 

>CONHEÇA A OBRA


Veja também:

Conheça as obras do autor (Clique aqui!)

LEIA TAMBÉM
COMENTE

Uma resposta para “PUBLIEDITORIAL: Hugo Segundo apresenta o novo Manual de Direito Tributário”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *