Reforma Trabalhista | Abono Pecuniário

0
Comentários
0
likes
0
Coment.
0
likes

Existe um empregado no Brasil que não pode converter 1/3 das férias em abono pecuniário (“vender” 1/3 das suas férias). Quem é? Isso mesmo! O empregado submetido a Regime de Tempo Parcial, por força da vedação contida no § 3º do art. 143 da CLT. E por qual razão ele não pode “vender” parte das férias? Simples. Porque o seu período de férias é menor (máximo de 18 dias – art. 130-A da CLT). Isso vai mudar! A Lei 13.467/2017 revogará, dentro de 120 dias, o art. 130-A e o § 3º do art. 143 da CLT, ou seja, o trabalhador submetido a Regime de Tempo Parcial passará a ter a mesma duração de férias do empregado comum (máximo de 30 dias), nos termos do art. 130 da CLT. Ora, se a duração das suas férias será a mesma, soterrado estará o fato gerador da proibição da conversão de 1/3 em abono pecuniário.

Fácil, né não?

Mas o Regime de Tempo Parcial também sofrerá alterações, né professor? Comportará até 30 horas de trabalho por semana (atualmente o limite é de 25 horas semanais)…
Isso mesmo. Mas essa dica eu postarei em vídeo.


Conheça as obras do autor (Clique aqui!)

LEIA TAMBÉM
COMENTE

Uma resposta para “Reforma Trabalhista | Abono Pecuniário”

  1. Gilmar Abreu dos Santos disse:

    Bom dia!

    Com relação ao abono pecuniário do trabalhador com jornada normal, atualmente o abono é 1/3 dos dias de férias. Gostaria de saber se no caso do empregado optar por gozar 5 dias de férias ele poderá optar pelo abono pecuniário e, em caso positivo, como ficariam os dias a gozar, pois daria 1,66 dias a vender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *