resolução de questões de concursos anteriores

As Três Funções da Resolução de Questões de Concursos Anteriores

0
Comentários
0
likes
0
Coment.
0
likes
resolução de questões de concursos anteriores

Muitos alunos acreditam que a única função da resolução de exercícios anteriores é verificar se de fato o conteúdo estudado foi aprendido, ou seja, medir conhecimento.

Embora essa seja uma das grandes funções da resolução de questões de concursos anteriores, ela vai muito além disso. Medir conhecimento é só uma delas!

As três principais funções da resolução de questões concursos anteriores são: (i) medir conhecimento; (ii) auxílio na memorização e fixação do que foi estudado; (iii) conhecer as diversas formas como um mesmo assunto pode ser cobrado em prova.

Hoje, falaremos sobre cada uma dessas funções!

Medir conhecimento

Tão importante quanto a leitura de um livro ou assistir a uma aula é a resolução de exercícios, somente pela qual você conseguirá verificar se o assunto estudado realmente foi compreendido.

Muitas vezes, quando estamos lendo ou praticando alguma atividade passiva (ex. assistir a aula, ler um resumo – nas atividades passivas você apenas recebe a informação), temos a falsa impressão de que tudo foi compreendido. Isso ocorre porque você somente está recebendo a informação. Como você não está num momento de prática e exposição do que foi estudado, não consegue verificar se a informação recebida foi realmente compreendida.

Nessa perspectiva, entra a primeira função da resolução de exercícios: medir o seu conhecimento. Quando você resolve questões de concursos anteriores, é o momento no qual você realmente terá que ser ativo e colocar em prática a teoria aprendida.

Aqui vale aquele pensamento: quanto mais eu acerto mais eu sei.

Auxílio na memorização e fixação do que foi estudado

Além de conseguir verificar o seu conhecimento, a resolução de exercícios tem um papel fundamental na fixação do assunto estudado. Certamente, a compreensão do que foi estudado é o elemento central na memorização. Contudo, quanto mais exercícios você realizar sobre determinado assunto mais fixação você conseguirá ao longo do tempo.

A aprovação em provas e concursos é o resultado de muita repetição, estudo e esforço. Fazer muitas provas de concursos anteriores mantém você em contato constante com a teoria estudada, sendo um grande auxílio na sua preparação.

Além disso, em uma mesma questão você pode passar por diversos temas da matéria, o que se mostra uma ótima forma de revisar o conteúdo.

Aqui vale o seguinte pensamento: quanto mais exercícios eu faço mais eu consigo fixar a matéria estudada.

Conhecer as diversas formas como um mesmo assunto pode ser cobrado em prova

Por fim, mas não menos importante, é conhecer as diversas formas como um mesmo assunto pode ser cobrado.

Quando estamos estudando e praticando uma atividade passiva (ex.: assistindo a uma aula), conseguimos observar aquele tópico da matéria sobre um ou alguns ângulos específicos, ou seja, apenas da forma que nos foi ensinado. Contudo, o seu examinador está constantemente explorando os temas cobrados em provas e, em razão disso, um mesmo assunto pode ser cobrado sob diversas perspectivas.

Você somente conseguirá observar essas perspectivas a partir do momento em que adquire o hábito de resolver questões de concursos anteriores. Portanto, quanto mais questões de concursos anteriores você realiza mais você conhece as formas como aquele assunto já foi cobrado em concursos anteriores.

Percebeu como uma simples resolução de exercícios tem papel fundamental na sua aprendizagem? Faça questões de concursos anteriores regularmente. O ideal é fazer todos os dias sobre o que foi estudado. Separe também um tempinho semanal para que você possa realizar simulados. Isso faz toda a diferença na sua preparação!

Gostou da dica de hoje? Acesse www.planejaconcursos.com para materiais e planejamentos de estudo.


Veja também:

Conheça a obra da autora (Clique aqui!)

 

LEIA TAMBÉM
COMENTE

Uma resposta para “As Três Funções da Resolução de Questões de Concursos Anteriores”

  1. Paulo Gouveia de Oliveira Filho disse:

    Muito bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *