Como e Quando Apresentar Denúncia de Alienação Parental

Como e Quando Apresentar Denúncia de “Alienação Parental”

0
Comentários
0
likes
0
Coment.
0
likes
Como e Quando Apresentar Denúncia de Alienação Parental

Segundo o art. 2º da Lei nº 12.318/2010 “considera-se ato de alienação parental a interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente promovida ou induzida por um dos genitores, pelos avós ou pelos que tenham a criança ou adolescente sob a sua autoridade, guarda ou vigilância para que repudie genitor ou que cause prejuízo ao estabelecimento ou à manutenção de vínculos com este. Parágrafo único. São formas exemplificativas de alienação parental, além dos atos assim declarados pelo juiz ou constatados por perícia, praticados diretamente ou com auxílio de terceiros: I – realizar campanha de desqualificação da conduta do genitor no exercício da paternidade ou maternidade; II – dificultar o exercício da autoridade parental; III – dificultar contato de criança ou adolescente com genitor; IV – dificultar o exercício do direito regulamentado de convivência familiar; V – omitir deliberadamente a genitor informações pessoais relevantes sobre a criança ou adolescente, inclusive escolares, médicas e alterações de endereço; VI – apresentar falsa denúncia contra genitor, contra familiares deste ou contra avós, para obstar ou dificultar a convivência deles com a criança ou adolescente; VII – mudar o domicílio para local distante, sem justificativa, visando a dificultar a convivência da criança ou adolescente com o outro genitor, com familiares deste ou com avós”.

A lista apresentada pelo legislador é apenas exemplificativa, ou seja, mesmo que a conduta no caso concreto não esteja descrita expressamente no citado dispositivo legal, ela pode caracterizar alienação parental se tem como objetivo por a criança contra um dos seus genitores e/ou responsáveis, a fim de dificultar ou mesmo inviabilizar o convívio familiar, direito fundamental da criança (art. 3º, Lei 12.318/10; art. 19, Lei 8.069/90-ECA).

A suspeita de ocorrência de alienação parental deve ser apurada com prioridade e com rigor pelo juiz, seja incidentalmente numa ação ou mesmo por meio de uma ação autônoma de natureza declaratória. A denúncia não precisa estar necessariamente na petição inicial ou na contestação, ela pode ser apresentada a qualquer momento por meio de uma simples petição intermediária, sem que permitido ao juiz ignorá-la. Na verdade, o juiz tem a faculdade e o dever de determinar a abertura de incidente investigatório se, por exemplo, apurar durante o trâmite de um processo possível ocorrência de alienação parental.

Embora a denúncia de alienação parental possa ser apurada em ação autônoma, na prática é mais comum que ocorra incidentalmente na própria ação de divórcio, ação de dissolução de união estável ou em ação de regulamentação ou modificação de guarda, onde se busca a fixação da guarda unilateral, com restrição do direito de visitas, ou a modificação de anterior acordo de guarda.

Nestes casos, não há uma forma especial para se apresentar o assunto.

Na ação de divórcio ou regulamentação de guarda, o tema deve ser apresentado no item que trata da guarda dos filhos menores do casal, seja na inicial ou na contestação. No caso dos fatos ocorrerem após o inicio do processo, mas ainda no seu tramite, o interessado pode fazer a denúncia mediante simples petição intermediária, juntando as provas que possui e requerendo as providências que entender adequadas para resguardar os direitos da criança e/ou adolescente. O advogado deve fazer pedido expresso de apuração dos fatos e das responsabilidades, inclusive criminais do envolvido (art. 330, CP), assim como requerer eventuais medidas acautelatórias (tutela provisória).

No caso da ação de modificação de guarda arrimada em alienação parental, a construção dos fatos deve indicar em detalhes todas as circunstâncias envolvidas, culminando com pedido de alteração da guarda legal, assim como de restrição, ou mesmo proibição, do direito de visitas do alienador. Também aqui não se deve olvidar de eventuais medidas acautelatórias

Considerando que a denúncia de ocorrência de “alienação parental” é fato gravíssimo, podendo inclusive incluir fatos delituosos, embora a conduta em si ainda não seja considerada crime, recomendo “muita cautela” ao advogado responsável por efetivá-la. Nos casos em que estive envolvido tomei o cuidado de ler a petição para o cliente com escopo de confirmar a correção dos fatos informados, assim como fazê-lo assinar todas as vias, com escopo de evitar problemas no futuro, principalmente desmentidos, que podem colocar o colega advogado na posição de passar por mentiroso.

No meu livro Prática no Direito de Família, publicado pela Editora Atlas, do GRUPO GEN, você encontra mais informações sobre o tema.


Veja também:

Conheça as obras do autor (Clique aqui!)

LEIA TAMBÉM
COMENTE

7 respostas para “Como e Quando Apresentar Denúncia de “Alienação Parental””

  1. Jonilson barbosa disse:

    Se eu nao tiver dinheiro para pagar a um advogado nada pode ser e feito em relacao a alienação parental pois na defensoria nao tem poder para nada e a crianca vai continuar socrendo abusos psicológicos e isto

  2. Valmir disse:

    Passo por isso já tem seis anos, compareci inúmeras vezes na defensoria publica de SP e não tive auxílio algum, realizei reclamação na ouvidoria no qual não resultou em nada. Porém a mãe foi na defensoria para obter a guarda definitiva e recebeu todo o apoio, em quanto aguardando uma audiência para apresentar tudo que tinha provando alienação não tive nada

  3. Guilherme meller disse:

    Boa tarde.
    Tenho um menino de 8 anos , ano passado ele estava matriculado em um colégio particular, porém pelas minhas condições financeiras, não consegui pagar, esse ano de 2019, matriculei ele , em outro colégio particular tbm, porém com desconto de 50% nas mensalidades. Paguei o ano todo. De fevereiro a dezembro, comprei material e uniforme, tomei essa decisão para conseguir pagar minhas dúvidas antigas, e limpar meu nome, até a do colégio anterior. A mãe dele não aceitou o novo colégio , e não o levou para aula, alegando que ele teria que estudar no antigo colégio , ou não estudaria em lugar nenhum. Fiz queixa no conselho tutelar, no ministério público, é até o momento nada, as aulas já começaram. Eu tentei levá-lo ao colégio, porém a mãe me disse que eu só veria ele novamente com uma ordem judicial, nunca fomos casados, e nunca entramos na justiça para regularizar, a mãe é ausente na vida dele, todos os dias eu buscava ele na aula, fazias as tarefas, ele dormia na minha casa, e quando a mãe dele passava para buscá-lo ele ia embora (quando passava). Hoje eu não tenho mais contato com ele, até cheguei a conversar com ele pelo telefone, mas ele repete tudo o que a mãe fala no fundo. Que está sem estudar, que não quer mais vê comigo, que não quer mais falar comigo. Essas coisas. Conheço meu filho, ele não é assim.
    O que posso fazer?

  4. Itália filomena Cristoforo disse:

    Não vejo minha filha a onze meses. Tinha visitas no ceva o pai alegou que eu a mãe poderia fugir com com a minha filha.As visitas no Cevat ele levou nossa filha duas vezes e é nunca mais vi ou tive notícias .O meu advogado só manifestou as faltas em novembro às faltas ocorreram no mês de abril.Meu advogado está esperando a data de quando começará as visitas no cevat.Para mim já deveria denúnciar Alienação Parental.
    Por favor me ajudem.Pode sim entrar com a denúncia de Alienação parental?

  5. Não há proibiçao da justiça.
    O genitor toma as decisões. E os descumprimento da Lei ele a faz porque nunca foi punido.

  6. JOSE GERALDO DE ALMEIDA disse:

    É mesmo??? E como a gente faz para puní-lo???

  7. Onel Lundy disse:

    Eu tenho uma filha e compartilho a guarda com a mãe. Ela e a mãe se mudaram de cidade para eu não ver ela. E tem 1 ano que não vejo minha filha. Fui na defensoria publica já tem 3 meses e nada. A mãe da minha filha só fala pra a criança que tem outro pai e ele meu bloqueou em whatsapp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.